terça-feira, 3 de novembro de 2009

Resumo: Fim do Estado Novo e o Governo Dutra - 3° Ano

O Fim do Estado Novo.

O Estado Novo foi planejado como um Estado autoritário e modernizador que deveria durar muitos anos. Mas teve vida curta, não durou oito anos.
Os problemas do regime foram causados mais pela a entrada do Brasil nas relações internacionais do que com as políticas internas.
Após a entrada do Brasil na guerra, personalidades de oposição começaram a explorar a contradição existente entre o apoio do Brasil às democracias e a ditadura de Vargas. Em outras palavras, um governo “fascista”, que lutava contra a opressão nazi-fascista.
A primeira manifestação contra o governo foi o Manifesto dos Mineiros em 24 de outubro de 1943.
O manifesto era assinado por figuras importantes da elite de Minas Gerais. Em uma linha liberal, tinham como proposta um regime democrático, “capaz de dar segurança econômica e bem-estar ao povo brasileiro”.
No governo uma figura se mostrou francamente favorável a uma abertura democrática, o ministro das Relações Exteriores, Osvaldo Aranha, um intimo de Getúlio Vargas.
O fato mais grave foi o gradativo afastamento do Estado Novo de um de seus idealizadores e sustentáculos militares. Convencido de que o regime não sobreviveria aos novos tempos, o general Góis de Monteiro abandonou o cargo que ocupava em Montevidéu como embaixador do Brasil.
Regressando ao Brasil, Góis foi para o Ministério da Guerra, em agosto de 1945, muito mais para encaminhar a saída de Getúlio do que pra tentar garantir sua permanência.
Em torno de 1943, um grupo social importante emergiu na luta pela democratização. Os estudantes universitários mobilizaram-se contra a ditadura, organizaram a União Nacional dos Estudantes (UNE).
O governo enfrentou pressões, justificaram a continuidade da ditadura pela existência da segunda Guerra. Ao mesmo tempo, prometia realizar eleições quando a paz voltasse.
Os principais partidos representativos deste período eram o PTB, o PSD e a UDN.
O PTB representava os sindicatos oficiais vinculados ao Ministério do Trabalho. Sua principal bandeira era as melhorias sociais e econômicas. O PSD, ligado a grupos que apoiavam Vargas , representando os interesses do Estado Novo. A UDN em pró aos movimentos liberais de oposição a Getúlio Vargas.
Despontaram neste período movimentos reivindicando a permanência de Vargas no poder: Movimento conhecido como queremismo, projeto que fracassou e no dia 29 de outubro de 1945, o ministro de Guerra, general Góis de Monteiro, reuniu tropas do Exército e depôs a Presidente Vargas . José de Linhares, presidente do Supremo Tribunal Federal, assumiu o governo temporariamente.
Um Processo de retomada a democracia e às manifestações de rua, voltaram-se para a escolha do novo presidente da república.
Getúlio declarou que não se candidataria à presidência. Do interior do Governo nascia a candidatura do General Eurico Gaspar Dutra, ministro da Guerra, em oposição ao Brigadeiro Eduardo Gomes.

A eleição de Dutra

A campanha de Eduardo Gomes atraiu os setores da classe média das grandes cidades. Apontado como favorito,, pregava a democracia e o liberalismo econômico. Sua campanha ficou conhecida com a dos lenços brancos, um simbolo agitado pelos participantes dos comícios.
O general Eurico Gaspar Dutra não era um forte candidato até então, a ponto de que o mesmo chegou pensar em substituição de sua candidatura.
Mas Getúlio quase nas vésperas da eleição, declara-se em apoio à candidatura de Dutra.
Em uma época que não existia pesquisas eleitorais, a oposição foi surpreendida pela nítida vitória de Dutra.
O General venceu com 55% dos votos contra 35% atribuídos pelo Brigadeiro. O Resultado mostrava a força da máquina eleitoral montada pelo PSD e o prestígio de Getúlio Vargas entre a classe trabalhadora.
Dutra venceu bem nos três grandes estados – Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.
A votação do PCB, agora na legalidade, foi bastante expressiva. Iedo Fiúza alcançou uma votação de 10% do total, beneficiando-se do prestígio do líder comunista Luís Carlos Prestes e externamente do prestígio da União Soviética.
Mas em geral, o grande vencedor das eleições de 1945 foi sem dúvidas, Getúlio Vargas, que fortificou a bancada do PSD e do PTB no senário nacional.
Vargas neste mesmo período se elegeu senador pelo PSD do Rio Grande do Sul.
A votação mostrou claramente como a máquina política montada pelo Estado Novo, com o objetivo de apoiar a ditadura, podia ser também muito eficiente para captar votos, sob regime democrático. Estes fatores nos concretizam que as relações Clientelistas importavam mais do que os ideais partidários.

A Constituição de 1946

O primeiro ato como presidente da República de Eurico Gaspar Dutra, foi convocar junto dos deputados federais e senadores, a Assembleia Constituinte.
Instalada em 2 de fevereiro de 1946, a Assembleia foi composta pelos principais partidos políticos da época: PSD, UDN, PTB e PCB.

Continuação...
(Prof°Angelo B. Galvão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Salve!Salve!

Sejam Bem-vindos!!